Tradução Daizenshuu #1- pt. II

post_daizenshuu1_pt2

Continuando a tradução do Daizenshuu #1- Complete Illustrations, trazemos agora a tradução da super entrevista com o mestre Toriyama. Confiram!

Tabela de Conteúdos

Mensagem de despedida de Akira Toriyama Pôster/ 175
Super entrevista Akira Toriyama – 1º round 202-207
Trabalhos completos comentados 208-217
A hora de Shenlong – 1º round Panfleto

2- Super entrevista Akira Toriyama – 1º round

Após dez anos, fiquei satisfeito com somente uma única ilustração

Quando se compara as aventuras e batalhas que Goku teve ao longo de dez anos e meio de experiência de desenho de Akira Toriyama, você poderia dizer que Toriyama tinha aventuras e batalhas internas. Assim como Goku que sempre procurou rivais mais fortes, Toriyama sempre continuou a evoluir.

Daizenshuu: pergunta do daizenshuu

Toriyama: resposta de Akira Toriyama

Daizenshuu: Uma vez que esse volume é de uma coleção de ilustrações de Dragon Ball, eu pensei que minhas perguntas se voltariam para seus desenhos. Você acha que fez alguma alteração deliberada em seus desenhos entre Dragon Ball e o anterior serializado Dr. Slump?

Toriyama: Sim, eu realmente não gosto de seguir o mesmo padrão, então eu mudei o estilo de desenho para me adequar à história. Por causa disso se me pedirem para desenhar estilo Dr. Slump, com certeza eu consigo desenhar. Eu simplesmente uso linhas redondas.

Quando entrei na segunda metade de Dragon Ball, eu já tinha ficado mais interessado em pensar na história para depois desenhar. Então eu comecei a não enfatizar muito as imagens. As batalhas ficaram intensas e eu gradualmente mudei para linhas mais simples.

De qualquer forma, eu desprezo essa maneira. Sou profundamente perverso dessa maneira. Tenho cartas de leitores dizendo “Comparando com os desenhos antigos, tudo é muito quadrado agora. Era melhor daquele jeito.” E então eu pensei em fazer ainda mais quadrado. (risos)

Entretanto, no início eu não tinha muita confiança em minhas cenas de batalha. Eu nunca tinha elaborado realmente o que chamam de motion pictures. Isso porque eu comecei com ilustrações. Foi realmente difícil fazer isso no primeiro Tenkaichi Budoukai.

Daizenshuu: É boato que você não mantém qualquer material de referencia em seu estúdio, mas quando você começou a desenhar cenas de batalha, o que você consultava?

Toriyama: Sim, o que eu usava? É uma implicância minha quando as pessoas olham meu mangá para pegar idéias. (risos) Mas essas coisas eu peguei nos filmes que eu assisti há muito tempo e que ficaram na minha cabeça. Então acho que usei eles.

É claro que os filmes são mais uteis. Eu fui ridiculamente amante de filmes há muito tempo.

Daizenshuu: Você ainda os assiste bastante?

Toriyama: Eu não fui ao cinema desde que tive meu filho. Eu só assisto filmes transmitidos pela televisão ou alugo vídeos que pareçam interessantes. Não importa o canal. Geralmente eu deixo a televisão ligada enquanto estou trabalhando. Por causa disso, eu não assisto nada com legendas, porque se não eu não iria trabalhar. (risos) Eu basicamente fico trabalhando até alguma música de uma cena interessante me chamar a atenção. Concentro-me nos filmes que quero ver não importando nada, mas o resto vem apenas por fluxo.

Daizenshuu: Algum desses filmes influenciou Dragon Ball?

Toriyama: Particularmente eu não fiz isso conscientemente. Quero dizer, eles não são úteis a todos no decorrer da história. Mas eles são uma boa referencia para saber como mostrar algo, como por exemplo, as explosões. Não é simplesmente um “bang”, mas um flash de luz seguido por um “BOOOM”.

Daizenshuu: Falando disso, torna-se muito intenso durante as batalhas.

Toriyama: Isso definitivamente eu pego de referência da qualidade rítmica das lutas dos filmes do Jackie Chan.

Eu uso de referencia materiais para mais tarde, quando estiver desenhando coisas como carros e aeronaves. Modelos plásticos são uteis para isso, por permitirem olhar de diferentes ângulos.

Daizenshuu: Eu sempre pensei o quanto era incrível o jeito como você desenhava os carros em um estilo deformado.

Toriyama: É, eu faço isso porque se você tentar desenhar um carro com design correto, leva um tempo absurdamente longo. Se você não desenha com precisão, ele acaba ficando completamente fora de forma. Mas se você desenhá-lo de forma deformada, não tem problema de algumas coisas estarem fora do lugar. De qualquer forma, vou tentar de tudo para acabar meu trabalho mais cedo. (risos) Bem, meu mangá é um “gag mangá” e seus personagens são todos formas humanas deformadas de alguma forma, então seria estranho se todo o resto também não o fosse.

Daizenshuu: Além dos veículos do mundo real, vários veículos originais aparecem em Dragon Ball.

Toriyama: É a coisa mais divertida em pensar nos mecanismos originais. (risos) Eu os desenhei pensando em como se entra neles e onde fica o motor e seus outros enfeites.

Claro que quando se desenha carros e coisas que existem no mundo real, você tem que buscar materiais de referencia cada ver que for desenhá-los. Mas com as coisas que eu penso por conta própria, eu não tenho esse problema, já que você não pode falar nada. (risos) Desde que eu pensei nisso, eu simplesmente posso dizer que está bom dessa forma. (risos)

Daizenshuu: Agora, em seguida eu gostaria de perguntar sobre as cores do seu manuscrito: o que você usa para colorir?

Toriyama: Uma tinta denominada “Ruma”. Um shoujo mangaka um tempo atrás me contou sobre ela. Até então eu estava usando uma caneta colorida à base de água que saiu “squeakily” e dissolvida em água. Isso me fez cobrir uma larga área com muita dificuldade. Então quando eu usei essa tinta, me fez pensar “Ah, há algo útil nisso? Agora eu posso começar molhado e não ranger.” (risos)

Daizenshuu: Por falar nisso, qual sua cor favorita?

Toriyama: Eu diria verde. O verdadeiro verde italiano. Ou isso, ou o amarelo ou laranja.

Daizenshuu: Quando diz amarela ou laranja, quer dizer a cor do dougi de Goku?

Toriyama: Sim. No entanto, eu  não fiz o dougi dele por causa de eu gostar da cor, mas por ser a cor do dougi usado pelos monges budistas, que treinam na China. Era a cor especial para a China.

Daizenshuu: Quando você pensa em um novo personagem, você pensa em um modelo e uma personalidade? Ou é a partir de uma alguma imagem?

Toriyama: Eu penso na história e modelo, e então eu penso em sua personalidade, e finalmente desenho um rascunho dele. Eu acho que é esse tipo de postura que eu tenho.

Depois que eu fiz a imagem do Cell, eu disse “Que droga!”. Eu pensei que estava feito como rascunho, mas eu ainda não tinha desenhado aquelas manchas no corpo dele (risos); isso acontecia muito. Essa é a razão pela qual nunca houve personagens que tinham tons de pele, exceto aqueles com papel muito menor. Não é que eu não goste disso, eu quero usá-lo. Mas como é difícil, eu não uso. (risos)

Daizenshuu: Você imagina o esquema de cores do personagem e de sua roupa quando eles estão em preto-e-branco?

Toriyama: Sim, mas eu nem faço isso conscientemente. Quando eu estou aplicando a cor, eu penso “É mais ou menos essa cor”. Entretanto, com pessoas que eu já havia desenhado em uma cor anterior, eu geralmente não volto para checar, por isso, às vezes, eu acabo usando diferentes cores das que fiz anteriormente. (risos)

Daizenshuu: Nesse livro, você pode ver que as imagens estão em ordem cronológica. Seu toque especial e seu modo de desenhar mudaram com os anos.

Toriyama: Mas eu realmente não fiz isso conscientemente. Eu basicamente mudei sem perceber. Se eu olhar para o tankoubon ou outra coisa minha de alguns anos atrás, eu vou pensar “Ugh! Esse estava horrível.”

Daizenshuu: Depois de um ano?

Toriyama: É. Eu acho “Ah, eu acho que evoluí bastante.” (risos) Mesmo com imagens de algum tempo atrás, eu ainda acho elas estranhas. Por exemplo, mesmo um rascunho de cerca de um ano atrás, ainda sinto seu design estranho. Com rascunhos assim, depois que eu os pinto eu normalmente penso “Ah, eu estraguei tudo.”

Daizenshuu: É sério?

Toriyama: Se tivesse tempo, eu até gostaria de tentar consertá-los, mas nunca tenho tempo. (risos)

Daizenshuu: A maneira como você pinta com as cores também mudou um pouco.

Toriyama: É. Por exemplo, nos velhos tempos eu sombreava as porções de luz no cabelo, mas o sombreamento tomava muito tempo. Quando eu fiz um anime chamado Kosuke-same Rikimaru-sama (exibido em 89 no Jump Anime Carnival, e mais tarde tornar-se um Jump Video), eu olhei para as imagens to animador Toyoo Ashida e pensei que o estilo de anime com aplicação de luz e sombra não era ruim. Eu fiz os meus desenhos assim a partir de então.

A verdade é que o Sr. Ashida é alguém que eu sempre respeitei.

Daizenshuu: Para os esquemas de cores, como você decide que tipo de estilo fazer? Você só pinta várias versões de teste ou algo assim?

Toriyama: Eu basicamente pinto uma única vez. Eu decido a cor que deve cobrir a maior área e então determino o resto. Com Goku ou outro qualquer cujas cores já foram determinadas, determino a cor do fundo onde eles se encontram.

Daizenshuu: Quando você está desenhando uma ilustração única, você é capaz fazer desde o rascunho até a pintura em somente uma sessão?

Toriyama: Normalmente eu faço isso em uma única sessão. Ao desenhar eu ainda me esforço bastante. Eu fico extremamente concentrado. Eu ignoro completamente todos os sons externos.

Algum tempo atrás, eu estava desenhando uma ilustração, e as linhas estavam saindo todas onduladas. Eu pensei “Ah, minha mão está louca, o que há de errado comigo?” Então o stand começou a tremer e eu “O que foi isso!? Um terremoto!” (risos)

Mesmo se eu perco o sono, eu normalmente continuo trabalhando até que tenha terminado completamente. Eu acho que eu simplesmente não posso dormir se não estiver pelo menos metade pronta. (risos) Ficaria apenas me irritando. Eu até gostaria de continuar desenhando em meus sonhos. Quando eu acordo de manhã, eu penso “Ah, eu sonhei que tinha terminado tudo!” (risos)

Toriyama: A que tem Goku e Gohan montando em uma moto que parece a Harley (página 88 �140). É o único que eu posso dizer que estou satisfeito.

Daizenshuu: Só uma ilustração nesses últimos dez anos?

Toriyama: De que eu me lembre, é a única em que a composição e as cores saíram bem.

Daizenshuu: Agora que você mencionou isso, eu acho que você poderia dizer que você conseguiu habilmente congelar um momento de movimento.

Toriyama: Mas eu não acho que isso seja impressionante. Quando eu desenho alguma coisa, é incrivelmente irritante quando não sai do jeito que eu imaginava. Eu creio que essa ilustração definitivamente tem a composição que eu imaginei ou a combinação de cores que eu queria.

Por eu ser fundamentalmente exigente e inconstante, quero desenhar diferente. Eu não perco interesse, então eu continuo tentando. É por isso que eu sempre falho no final. (risos) Eu sou capaz de não me satisfazer com ele. Mas eu reflito sobre o que eu fiz e vou progredindo. Eu estou sempre refletindo. (risos)

Hoje foi um dia bem cheio, então muito obrigado.

(21 de April de 1995, no Yamanoue Hotel, Tóquio, Japão)

3 Respostas para “Tradução Daizenshuu #1- pt. II

  1. Então…mas e aí? No final,qual foi essa única ilustração que ele gostou,ela é disponível no Daizenshuu?

  2. Amei essa matéria. Eu me interesso muito pelo assunto da entrevista: desenho. Estou até emocionada, é como se fosse conselhos do mestre Akira. ^^

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s